somos_nos_topoQUEM SOMOSsomos_nos_topo

quem_somos_01

Walkyria Fagundes

Graduei-me em 2011, em Gastronomia na Anhembi Morumbi. Durante os dois anos da graduação fiz dois estágios bem diferentes entre eles. O primeiro foi em uma confeitaria muito bonita e com instalações altamente sofisticadas, onde tive a oportunidade de aprender panificação. O segundo foi em uma empresa voltada ao Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) que possuía uma cozinha experimental, nessa pude trabalhar com pesquisa de ingredientes e criar receitas próprias.  Ainda durante a graduação tive a oportunidade de travar minha primeira experiência internacional ao realizar, em Marbella, Espanha, durante as férias letivas, um curso de cozinha andaluza.

Logo depois de me graduar, em março de 2012, fui fazer minha primeira especialização no exterior no Italian Culinary Institute for Foreigners (ICIF) em Costiglioli D’Asti, no Piemonte, Itália. Tratava-se de um curso teórico-prático com a duração de 6 meses em período integral. Os primeiros 2 meses foram reservados a aulas e visitas técnicas a diversos produtores de alimentos.  Ao terminar esta parte inicial, fui estagiar, durante os 4 meses restantes, no restaurante estrelado (uma estrela no guia Michelin) do Releau Chateaux La Posta Vecchia em Ladispoli, Lazio. Foi então que descobri minha vocação para a Confeitaria.

Diante desta descoberta, em 2013, me animei em realizar um curso pleno em Confeitaria, com 9 meses de duração, na prestigiosa escola francesa de culinária Le Cordon Bleu  Madri.  Como complemento fui credenciada a estagiar durante 3 meses adicionais no restaurante do Westin Palace Hotel de Madri.

Em 2014, ao retornar ao Brasil, em virtude das minhas experiências internacionais prévias, imediatamente fui contratada como confeiteira do renomado restaurante Epice* (uma estrela no guia Michelin) então comandado pelo Chef Alberto Landgraf, onde conheci Ygor. Após 9 meses de casa, optei por um novo desafio, ingressar em uma empresa que viria a ser inaugurada, a Gelato Boutique. Nesta nova atividade, me tornei responsável pela cozinha durante 11 meses. Depois de todas estas vivencias profissionais, decidi, conjuntamente com Ygor, investir na nossa marca.

Em outubro de 2016, tivemos a irrecusável proposta de ir estagiar por 6 meses no Restaurante Nerua Guggenheim Bilbao* (uma estrela no guia Michelin) no País Basco espanhol. Sendo assim, deixamos temporariamente nossa empresa e fomos atrás de novos conhecimentos. Após essa experiência, aproveitamos a oportunidade e fomos em busca de mais um restaurante que pudesse expandir nossas técnicas. Foi quando encontramos o restaurante Quique Dacosta*** (três estrelas no guia Michelin). Estivemos aí até fins de setembro, quando voltamos ao Brasil para retomar nossas atividades. 

Ygor Lopes

Meu contato com a cozinha começou na minha adolescência, dentro de casa, como lazer, na época, nem poderia imaginar que seria minha grande dedicação.

Aos 16 anos, fiz meu primeiro curso no Senac, noção básica de cozinha, quando tive uma pequena visão do que seria trabalhar em uma cozinha. Foi então que decidi que queria isso para minha vida. Algum tempo depois, nas férias de inverno, tive a oportunidade de fazer um estágio no Hotel Pajuçara em Maceio, AL. Onde conheci o Chef Wanderson Medeiros do restaurante Canto do Picuí, um dos mais tradicionais da cidade. No qual, pude passar dois meses nas férias de verão, uma experiência muito boa.

No ano seguinte, ingressei no tecnólogo de gastronomia da FMU e iniciei um estágio no restaurante La Mar, na época comandado pelo Chef Fábio Barbosa. Após 6 meses de estágio, pude ser fui efetivado. Tive diversas experiências e fiz amizades que carrego até hoje.

Depois de 1 ano, cheguei a conclusão que precisava aprender novas técnicas e adquirir novos conhecimentos, os quais só conseguiria em um restaurante de alta gastronomia. Foi quando larguei tudo para ir estagiar no restaurante Epice* (uma estrela no guia Michelin), comandado pelo Chef Alberto Landgraf. Não consigo mesurar o quanto aprendi nesse local. Aos poucos, foi conseguindo posições e mais responsabilidade.

Com mais de 2 anos de casa, tive oportunidade de trabalhar como SubChef no restaurante Beato, segunda casa de Landgraf. A proposta era ser uma comida mais simples, porém extremamente bem elaborada. Infelizmente, a casa fechou com poucos meses. A partir dai, um novo ciclo começou, entrei para o DOM**(duas estrelas no guia Michelin) do Chef Alex Atala. Lá fique por 7 meses, quando resolvi assumir esse projeto com Wal, minha parceira da vida. 

Em outubro de 2016, tivemos a irrecusável proposta de ir estagiar por 6 meses no Restaurante Nerua Guggenheim Bilbao* (uma estrela no guia Michelin) no País Basco espanhol. Sendo assim, deixamos temporariamente nossa empresa e fomos atrás de novos conhecimentos. Após essa experiência, aproveitamos a oportunidade e fomos em busca de mais um restaurante que pudesse expandir nossas técnicas. Foi quando encontramos o restaurante Quique Dacosta*** (três estrelas no guia Michelin). Estivemos aí até fins de setembro, quando voltamos ao Brasil para retomar nossas atividades.